10 fevereiro 2008

Casais imaturos

Ano passado mandei uma mensagem pra uma pessoa no Orkut (sim, eu tinha perfil no Orkut). Simples, dizia somente “sonhei contigo na noite passada”. Não dizia ter sido sonho erótico nem nada perto disso (até por falta de motivos). Poderia ter sido até um sonho premonitório, quem sabe? O namorado dela me esculhambou, fez ela me tirar da lista de amigos e me adicionar na lista de “ignorados”.

Eu tinha pouco contato com ela. Poderia mesmo representar uma ameaça à estabilidade do casal?

Ainda em 2007, mandei uma mensagem para o celular de outra amiga, perguntando quando ela viria para minha cidade e terminava com “saudades”. Não tinha “eu te amo”, não dizia “saudades do teu beijo” nem nada assim, até porque não havia motivo. O inseguro namoradinho dela (os homens às vezes são tão imaturos) ligou de volta, me esculhambou (estou me acostumando com isso) e ela me pediu para nunca mais ligar ou passar mensagens (“ordenou” seria a palavra correta, se ela pudesse mandar em mim).

Não sei como eu poderia ameaçar o casal, morando em outra cidade e vendo a Marianna (nomes alterados para manter o anonimato) no máximo três vezes por ano...

Mas eu não aprendo mesmo. Dia 30 de janeiro foi aniversário dela e mandei a seguinte mensagem atrasada:
Marianna, meus parabéns atrasados. Lembrei no dia mas estava sem crédito. Felicidades! Scotch (vizinho)
Oh! Pra quê? Quer a resposta? Dia 7 de fevereiro (ela ficou um tempão ensaiando a resposta...)
Vi tua msg. Mas p evita problema ñ me manda mais msg pq vc ja me causo problema antes mandando msg. Marianna
Às vezes a gente tem carinho por uma pessoa sem querer nada em troca, sem segundas intenções. Era o caso. Percebi que ela estava cometendo um erro, se deixando dominar por um carinha inseguro que no futuro, provavelmente, ia bater nela se sonhasse que ela sorriu pra alguém. Tentei avisar:
Nem se preocupe. Você escolhe quem são seus amigos e como age com eles. Aquela e essa são as últimas. Um dia você vai perceber o erro de cortar amigos por amores. Fica com Deus.
Mas tem gente que não vê o erro que está cometendo nem se um aviso neon vermelho piscasse na frente dos olhos.
Ñ to cometendo erro algum. Só ñ qro problemas. Tchau. Marianna
Se o que ela não quer é problemas com o namorado, a probabilidade é que os tenha no futuro. Se por causa de uma inocente mensagem de amizade ele a fez parar de falar comigo, imagina o que faz com eventuais amigos que ela tenha na cidade deles! E também o que poderá fazer quando (se) casarem...

Não sei por que os namorados se sentem tão ameaçados por tão pouco. E chega desse assunto! Escrevi demais por pessoas que não mereciam nem uma linha.

3 comentários:

MilfordMaia disse...

Mais uma vez, o medo sobrepõe-se à amizade e à liberdade individual!

O dominado, aceita o medo de não cumprir as obrigações com a sociedade e com os antigos costumes, ainda que estes não paguem contas, aluguel, tampouco a passagem do ônibus ou um mísero cafezinho.

O dominante, ao impor o medo a alguém (que na verdade é tratado como algo, quando não se dá conta ou não se importa com a situação), ou por insegurança ou pela necessidade de dominar, transforma uma relação supostamente baseada no amor, numa sufocante prisão. E acaba por tornar-se também dominado, pelo mesmo medo que havia imposto ao outro!

Uma prisão para ambos, que invariavelmente termina em fracasso (leia-se traições, falta de confiança, violência, separação, traumas, etc).

Mas para romper com o modelo vigente, com as gerações passadas, com seu próprio 'casulo do bicho-da-seda', é preciso coragem, auto-conhecimento, apoio e confiança.

E isto não está à venda, nem à vista, nem à prazo. Talvez estivesse nas palavras daquele amigo, agora na 'lista de ignorados', ou naquela mensagem de texto, apagada e 'desinfetada' do celular. Mas isto, só o tempo dirá.

Forte abraço! Visite o blog aqui ou acolá!

Anônimo disse...

Um amor (e eu digo amor mesmo) nunca será contra uma amizade (e eu digo amizade mesmo). Considerando que os dois estão em muuuuita falta nesse nosso mundinho, então a possibilidade de que as pessoas entendam as intenções e confiem uns nos outros são poucas. Mas, talvez ainda aconteça. Faz assim...você me conta se souber de um caso e vice versa. rsrs

Eu estava com saudades do seu blog.

Meu beijo =***

Eldinha

Apenas idéias transgridem disse...

Porque não escreve por mim???...
Beijinhos