14 março 2008

Traição

Acabo de jogar fora dois textos prontos, por não gostar. Pior do que isso, eu não concordava com nenhum deles. Comecei com uma idéia e o raciocínio desenvolvido provou algo com que não concordo.

Odeio esses dias. Após vários dias sem inspiração, sem conseguir captar as idéias no ar, hoje elas me pregam essa peça: estão todas com a polaridade invertida.


A inspiração é algo um tanto irônico. Tem dias em que acordo no meio da noite e escrevo um texto inteiro. No dia seguinte, para publicar, basta corrigir alguns erros de português e tentar decifrar aquela palavra que o sono deixou meio mal desenhada no fim da página.


Já tive dias em que precisava parar de escrever porque, bem, era tarde e eu precisava dormir. Já desci do ônibus antes do ponto correto porque precisava de um papel e uma caneta e ninguém tinha, e corri a uma papelaria.


Já escrevi um texto completo no verso do caderno de provas de um vestibular (mesmo sabendo que jamais poderia levá-lo pra casa), só pra não deixar a idéia sem registro. (A propósito, perdi tempo na resolução da prova pra fazer isso, mas fui aprovado).


Mas também já rabisquei “palavras-chaves” no papel para depois desenvolver o texto e no outro dia não me lembrava. Uma dessas vezes eu juro que tinha um tratado internacional prontinho pra garantir a paz no Oriente Médio. (Bem, talvez não tanto...)


Já fiquei dias e dias sem conseguir escrever uma letra. Já tive branco na hora de expressar uma idéia, já usei palavras erradas, já fiquei sem palavras. Já coloquei uma palavra em francês porque não lembrava a tradução, já fiquei calado porque não queria dar minha opinião.


Mas hoje foi a primeira vez que elas me traíram. Fizeram-me escrever coisas com a quais não concordo, puxaram meu raciocínio para o lado oposto e tentaram me confundir a mente. Pois bem, foram pro lixo!

3 comentários:

Anônimo disse...

É isso mesmo, a vida é assim, comigo também acontece... por isso agora eu digo - "Ando devagar porque já tive pressa..."
Mas continue escrevendo vc é muito bom nisso. Parabens do Pati

MilfordMaia disse...

Assim são as palavras, minha cara Alesya, nem sempre conseguimos manejá-las como o desejado, nem sempre agem a nosso favor, como o esperado.

Forte abraço! Visite o blog aqui ou acolá!

Não tente me entender... disse...

Quero estender meus braços
e ser como porto a receber seus sonhos,
sorrisos, lágrimas, tristezas, segredos, esperanças...
Quero estender meu olhar
e oferecer uma ponte para dentro da minha alma,
por onde possa atravessar sem medo
e descansar a sua realidade.
Quero ser silêncio
para caber nas suas palavras
e ser palavra
para preencher o seu silencio
Quero ser o dicionário,
onde a Amizade vem primeiro que o Amor
pois só quem sabe Amar pode ser
um Amigo de verdade.

Passei para te desejar uma Feliz Páscoa!

Beijo terno.