11 junho 2009

Feliz dia dos namorados, querido político

Abaixo transcrevo trechos da matéria “Dia dos Namorados: tributos podem representar até 78% do valor do presente” (link aqui), da InfoMoney e Portal MSN Brasil e comento em seguida.

A lista dos presentes mais cotados para o Dia dos Namorados faz a alegria do Leão. Isso porque, na hora de comprá-los, os apaixonados esquecem que em um simples buquê de flores ou mesmo nos tradicionais bombons há incidência de tributos.

Um perfume importado, por exemplo, carrega 78,43% de tributos. Considerando a média de preço de R$ 150, cerca de R$ 117 são destinados à carga tributária.

Já quem quiser presentear com um perfume nacional terá de arcar com 69,13% de tributos.Dependendo do produto escolhido, a carga tributária pode ser maior ou menor. Um aparelho de MP3, por exemplo, tem 49,45% de impostos embutidos, contra 17,71% das flores e 15,52% dos livros.
Em seguida mostra a tabela elaborada pelo IBPT (Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário) com o percentual de impostos em vários produtos.

Naquele almoço ou jantar romântico, amigo leitor, você vai deixar quase 1/3 do que pedir para o leão. Se antes disso tiverem assistido a um cineminha, 30% do filme foi pros impostos. E não adianta tentar escapar. Se preferir um programa mais intimista, como um DVD acompanhado de um bom vinho, saiba que mais que a metade da garrafa será bebida pelo leão.

Em relação a outros presentes, escolha a mordida:
  • Artigos de vestuário tem mordidas variando de 34% a quase 60% (quando o Leão morde uma calça comprida, ela vira um shortinho bem escandaloso).
  • CDs e DVDs são cerca de 40% imposto (ou você achava que o único extra era o making of?).
  • Jóias são absurdamente taxadas: metade do que você paga é imposto! (Um brinco pra ela, outro pro leão).
  • Nos perfumes nacionais e importados, de 70% a 78% é o bafo do Leão!
  • Bombons e chocolates são 38% impostos e o resto é cacau. O mesmo percentual se aplica aos cartões.
E agora veja pra onde vão os impostos... Segurança pública? Saúde? Habitação? Basta olhar em volta pra ver que a maior parte deles passa longe da sua destinação.

Nosso dinheiro está pagando as viagens dos congressistas, a manicure e o batom da ministra da Casa Civil (e candidata do PT à presidência), os jantares dos ministros, os saques em dinheiro do cartão corporativo do Executivo, o nepotismo dissimulado dos senadores, os incontáveis auxílios que duplicam os já altos salários dos legisladores... (Assim é nos Poderes Executivo e Legislativo da nação, dos estados e dos municípios).

Então, “meu querido político”, a quem involuntariamente vou dar a maior parte do presente amanhã, peço desculpas por não chamar-te para estar fisicamente no nosso jantar romântico nem para convidar-te para assistir o filme conosco e tampouco dar-te bombons na boca ou beijinhos carinhosos.

É que apesar de dar-te mais que o dobro do que darei à pessoa a quem quero bem, esta me faz feliz enquanto Vossa Senhoria, “meu querido político”, me dá enjôo. Enquanto meu amor quer me ver sempre feliz e bem sucedido, Vossa Senhoria, “meu querido político”, quer tirar até minha última gota de sangue. A forma como Vossa Senhoria trata a coisa pública me dá nojo!

Então, “meu querido político”, eu não quero sua presença amanhã, no Dia dos Namorados. A propósito, queria que Vossa Senhoria sumisse amanhã para sempre!

Nada pessoal! Por favor, entenda...

5 comentários:

Neco disse...

Excelente! hahahahaha

Vou me sentir um pouco incomodado na hora que chegar ao motel. Quem será que vai estar lá comigo além da minha namorada? O Guido mantega, o secretário da fazenda do Cabral ou algum puxa-saco do Eduardo Paes? Acho que vão estar os tres, eu e a fofinha.

Esqueça, perdi a vontade de ir ao motel hoje. Vou comprar um DVD pirata e me aninhar com a fofinha no sofa.

Aleste Crai disse...

Tá mais que perdoada, Jazz!

Também acho que as melhores coisas não podem ser compradas. Prefiro um cartão feito a um pronto.

Volte sempre!

E adorei saber que está romantiquinha... :)

Diego disse...

Fiquei surpreso com o imposto dos livros. Achei que seria maior, por causa dos preços deles nas livrarias. Quem tá levando essa bolada?

Aleste Crai disse...

Diego, acredito que esse valor seja uma média. Talvez o imposto para livros didáticos seja menor. De qualquer forma, livros deveriam ter imposto zero, pra ver se o brasileiro começava a ler mais.

PS: Adoro aqueles livros de 8 reais ou 15 reais com a obra prima de cada autor.

emplastrocubas disse...

Esses livros baratos são bons - cumprem a função social de divulgar o texto. Pena que não têm capa dura e margem larga, e a tradução/edição não são sempre boas, mas valem a pena no geral.

Parabéns para nós. Somos jornalistas agora.