03 maio 2007

Futuro

_Oi, você nem falou comigo...
_É... Sabe, eu não posso te esperar para sempre.

_Eu sei... Mas eu não posso te dar nada. Pelo menos não agora.

_Você acha mesmo isso?

_Eu tenho certeza. Você merece mais do que tenho a oferecer.

_Não me venha com essa conversa de merecimento!

_Sério. Você precisa de mais do que tenho a oferecer.

_Se você acha isso...

_Eu sinto isso. E sinto muito também.

_Tá...

_Foi bom.

_O quê?

_Como assim?

_O que é que foi bom?

_Isso. O que vivemos.

_Mas não vivemos nada!

_Vivemos. Um sonho, se não mais.

_É, foi. Um sonho. Foi bom. De alguma forma, foi.

_Você acha que ainda temos chance?

_Não sei. Não gosto de pensar no futuro. Não costumo planejar nada. E o futuro a Deus pertence, não é?

_É verdade. E o futuro é cheio de possibilidades.

_Você deveria dizer “oportunidades”.

_É.

_Então tá.

_Desculpa.

_Você não fez nada.

_Por isso mesmo...

_Olha, tenho que ir agora. Outra hora a gente se fala mais.

_Tá.

_Adeus.

_Adeus?

_Foi maneira de dizer.

_Ah! Soou forte...

_Tchau, então.

_Tchau.

_Você é uma pessoa boa.

_...

2 comentários:

daise disse...

O blog ganhou cor! :-)
Em toda a última postagem eu mudaria apenas uma coisa, ou melhor, uniria. Consegue identificar?

MilfordMaia disse...

Um diálogo quotidiano e real. O que seria de nós no futuro, senão resultado do que fazemos no presente?

Forte abraço! Leia o blog!