18 abril 2008

O que você faz pra mudar o que não aprova?

Achei isso no excelente blog “Quando o Brasil me tira o sono” :
O preocupante é que há um corpo-mole da classe média para fazer oposição a Lula e ao PT. Obviamente ela não está satisfeita com o governo (e não só porque ele não a atende, mas porque ela é o único setor da sociedade capaz de perceber os erros estruturais, já que é a menos dependente do estado), e no entanto não se movimenta, não faz barulho, não se manifesta, não diz o que pensa.
Pois é... Quando a classe alta se sente prejudicada (geralmente quando não recebe algum empréstimo a juros baixos de um banco estatal), corre aos parlamentares ou aos governantes e faz pressão através de loobies (ou algo menos publicável).

Quando a classe baixa se sente prejudicada... Não, ela não se sente prejudicada pois está recebendo a bolsa-esmola viciante. Enquanto ganhar a dose mensal dessa cocaína do caráter, não se rebelará contra o traficante.

Resta a classe-média, que além de não receber nem a bolsa-esmola, nem a bolsa-BNDES, é o único setor da sociedade capaz de perceber os erros estruturais. Mas ela não se move!

Deixa eu ser mais claro: VOCÊ NÃO SE MOVE!

O link pra matéria toda está aqui.

4 comentários:

Daniela • Brasileira Insone disse...

Olá Aleste

Eu é que agradeço por você ajudar a ampliar a divulgação da angústia que sentimos diante de tamanha paralisia.

Fique sempre muito à vontade para usar qualquer coisa do meu blog. Já tinha visto um comentário seu lá antes.

Quanto ao que você escreveu aqui:

"Quando a classe baixa se sente prejudicada... Não, ela não se sente prejudicada pois está recebendo a bolsa-esmola viciante"

Eu diria que sempre que setores da classe baixa, ou duzoprimido minoritário, se sentem prejudicados, há uma ONG ou instituição que dirá a eles o que, em que lugar e com que camisetas e bandeiras fazer.

Abraços!

Não tente me entender... disse...

E você ?

Desculpa, mas não concordo!!!

Postei a música e suas versões...para você!

Beijos...de tenha um Domingo Feliz!!!

Não tente me entender... disse...

Olha o que eu achei para você!
Bjs


Independentemente do partido político com o qual você simpatize é preciso divulgar esta notícia! Voltar à ditadura será o cúmulo, nesta altura de nossas vidas.
Realmente estamos sob um novo AI-5; este, agora o do Lula.
O Boris Casoy foi calado, despedido por ordem do Lula.
Agora o Jabor foi processado, condenado, calado por ordem do Lula.
É um escândalo !!!
A imprensa divulgou a sentença que condenou o Jabor a pagar indenização por danos morais, dois dias antes de o Juiz assinar a sentença. Agora o Jabor foi calado na CBN.
O Diogo Mainardi (revista Veja), além de processado, sofreu ameaças de morte no jornal do MR-8 (da base aliada do Lula).
Há Medida Provisória enviada pelo Lula ao Congresso, instituindo a censura prévia aos programas de radio e TV.
Estão gritando CENSURA PRÉVIA, que ocorrerá inclusive com os programas jornalísticos. Os censores já estão nomeados. O que isto significa? Não esqueçamos de alguns jornalistas internacionais foram expulsos do Brasil por ordem do presidente Lula, poe criticar o comportamento de sua Exelência.
Agora faltam as torturas e os desaparecidos. Vamos denunciar isto pela internet e por todos os meios que pudermos! Arnaldo Jabor expulso da CBN!!! VAMOS REPASSAR!!! NÓS, BRASILEIROS E PATRIOTAS, DEVERÍAMOS SER 160 MILHÕES DE JABORES PARA GRITAR CONTRA ESSA BADERNA POLÍTICA E TANTOS DESMANDOS QUE EXISTEM NOS PODERES DA REPÚBLICA Tem cheiro de ditadura no ar !
Comentário de Dora Kramer, Estadão de Domingo:
"A decisão do TSE que determinou a retirada do comentário De Arnaldo Jabor do site da CBN, a pedido do presidente 'Lula' até pode ter amparo na legislação eleitoral, mas fere o preceito constitucional da liberdade de imprensa e de expressão, configurando-se, portanto, um ato de censura."
Em outro trecho:
"Jabor faz parte de uma lista de profissionais tidos pelo Presidente Lula como desafetos e, por isso, passíveis de retaliação à medida que se apresentem as oportunidades!"
A VERDADE ESTÁ NA CARA, MAS NÃO SE IMPÕE. (ARNALDO JABOR)

J J Trellez disse...

Pelo que se pode compreender do texto, existem:

- Uma minoria que vive das regalias que o sistema lhe dá, não precisa que nada mude.

- Uma imensa massa de manobra, 'dopada' por assistencialismos e falsos benefícios.

- Uma classe média, achatada e arrochada, por uma economia presa ao capital especulativo, ou seja, volátil, impostos sufocantes e, para completar, tolhida de liberdade de expressão.

Mas o que fazer?

A 1ª categoria detem a maior parte do capital e o poder político (além de ir a Miami e a NY fazer compras regularmente), não quer mudar.

A 2ª categoria listada, que é a grande maioria da população, não quer mudar, ja que é facilmente manipulada pela 1ª, ainda que pense o contrário, pois age com rancor e ódio, ao ver que não possui o que a classe social imediatamente superior possui (e a culpa por isso, não por sua própria inaptidão e despreparo).

E quem é essa outra classe? Sim, é a classe média, que paga colégio, paga plano médico, que paga pedágio, que paga IOF, que paga inteira no cinema, enfim, que tudo paga e nada recebe do Estado.

(Aliás, a festa das carteiras de estudante fraudulentas é mais um 'benefício' que os estudantes, aqueles que deveriam ser mais conscientes, fazem-se de coitados para recebê-lo, ao invés de rechaçar tal suborno para ver cinema enlatado e de baixa qualidade).

Falta cobrar? Sim, falta. Mas quando? Esta classe precisa se preocupar em trabalhar, em empreender, em vencer impostos e custos altíssimos, não lhe resta tempo, tampouco energia para reivindicar.

E a quem restaria tal tempo e tal energia? Ao que não lhes interessa mudar o 'status quo' da nação, vejam só!

Ciclo vicioso? Sim. País viciado? Talvez. Ou seria somente a vocação de uma terra, a de ser meramente explorada e espoliada, é "tirar pau-brasil e levar pra Europa", é vender suco de laranja para os "States" e beber suco Del Valle embalado a vácuo, vindo do México (filial de língua asteca dos próprios "States", que vive o mesmo dilema tupiniquim) ao triplo do preço.

Esta terra "deitada eternamente em berço esplêndido", só vai acordar quando esta mesma classe média extinguir-se, ou por falência do próprio sistema ou por desistência, ao imigrarem para países socialmente mais equilibrados, como Canadá e Austrália.

E, sinceramente, quando chegarmos a este ponto, já será tarde, tarde demais.