20 janeiro 2009

Poesia ainda sem nome

19 de janeiro de 2009

Queria escrever sobre a guerra num país distante
Ou sobre a fome no sertão do nordeste
Mas que me importam as guerras e as fomes
Se meu coração está deserto?

Se há gente estúpida se matando
E gente morrendo de forma estúpida
É porque falta amor no mundo
O mesmo que sobra em mim sem ter quem queira

De que adianta pra mim parar todas as guerras
E saciar todas as fomes
Se dentro de mim há uma fome sem fim
E uma guerra que já perdi?

5 comentários:

Selene Campos disse...

ahhhhhhhhhhhhh! Eu tenho uma sugestão para o título!

John Lennon estava certo (ou All you need is love).

Tudo a ver né? Alesya, minha karas... A vida realmente fica em preto e branco quanndo falta amor ou quando o amor bate a cara na porta. Continuemos a procura então...

Selene Campos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Sedokao Morutaru disse...

nossa, sensacional, adorei ler aqui.
Muito bom.

MilfordMaia disse...

Gostei da sugestão de Selene, bem poderia ser o título deste inquietante texto.

Um grito de desespero, um desabafo, uma enorme energia contida, à flor da pele, física, tátil, nervosa.

Forte abraço!
Visite o 'blogue' aqui http://milfordmaia.blogspot.com ou acolá http://milfordmaia.blig.ig.com.br!

Luana Gabriela disse...

Que texto liindo...
Amei o espaço...
Pabaréns!!

Quando puder dê uma passada em www.naoquerofalardisso.blogspot.com


Abraços!