22 março 2007

Te desejo uma história feia!

Grande parte das belas histórias de amor são tristes. Talvez sejam belas exatamente por serem tristes. Claro que é bonito ver um final romântico, com o casal de protagonistas se abraçando ao pôr-do-sol. Mas não é lindo. Não como “Romeu e Julieta”, nem como “E o vento levou...”, nem ao menos tão bonito quanto aquele filme que você viu no DVD ou na TV por assinatura ontem à noite.

Ontem estava lembrando de um dos mais belos clips que já vi: “All I Want Is You”, do U2. veja o clip clicando aqui. Não faz mal não saber falar inglês. Basta, talvez, saber que a tradução do título é “Tudo o que eu quero é você”. Vá ver e depois continuo.

.
.
.

Viu? Observou como o anão era completamente apaixonado pela trapezista? Pensando em fazê-la reparar nele, em atrair-lhe a atenção e a devoção (e não somente a simpatia), resolveu deixar de lado o que sabia fazer e partir para algo completamente desconhecido, para a área da sua “amada” e do homem por quem ela era apaixonada: o trapézio. No final, a queda.

Não poderia ser diferente. Ele nunca havia treinado trapézio e além disso os aparelhos não estavam ajustados para sua altura, para o comprimento de seus braços, etc. Mas também não poderia ser diferente pois é isso que acontece sempre que deixamos de ser nós mesmos para sermos quem a pessoa amada quer que sejamos: a morte, figurativa ou real.

A história é linda pra quem está de fora. Só quem a vive sabe o quanto dói, o quanto se sofre. É lindo ver, em nome do amor, uma pessoa se humilhar, se abnegar, se suprimir, se dedicar, se anular.

É uma história linda exatamente por ser triste. Por isso mesmo, eu desejo, meu amigo, que todas as tuas histórias sejam feias.

Para saber mais sobre o vídeo e a música:
Vídeo - Making of - Letra - Tradução


5 comentários:

Danielle disse...

Que lindo texto! E verdadeiro!
Adorei!!!
Beijão p/ vc!

Anônimo disse...

Espetáculo o seu blog!
É claro que não concordo com todas as suas indignações, até pode ser por uma razão de opinião...
Parabéns....pela combinação de antiguidade e atualidade!

Alexandre disse...

E desejar uma história vil, pode?

Selene disse...

Bom, a gente não precisa ter uma história horrorosa, né? Basta ser razoável... rsrsrs... Funcionando... Prefiro as bregas, com final feliz. É essa que eu te desejo, uma história brega com final feliz, daquelas bem batidas onde se morre velhinho ao lado da amada... Beijos!

milford maia disse...

Inquietante esse texto! O que mais vale, ser belo e comovente para a audiência, para os outros e sofrer ou viver um final feliz para si mesmo?

Na ficção permitem-se estórias permeadas de sofrimento e privações, a fim de obter-se o amor da contraparte. Porém, na vida real, esta fórmula demonstra, em geral, falhar.

Talvez seja porque seres melancólicos, tristes, dependentes, são na verdade, indesejados, não inspiram confiança, não duram ou seja, são belos na ficção, mas feios na vida real?

Forte abraço! Visite o blog! http://milfordmaia.blig.ig.com.br